Um Deus que não pára de nos amar

Samuel Paulo Santos, 3 de Junho de 2018

Faça download do áudio (29.2 MB).

Em Lucas 15 lemos como se chegam para ouvir Jesus dois grupos de pessoas que seria improvável estarem juntos, por um lado publicanos e pecadores, e por outro fariseus e escribas. Jesus conta-lhes a parábola do filho pródigo. Nesta história há um filho mais velho que simboliza estes fariseus e escribas e um filho mais novo que representa os publicanos e pecadores. Nesta parábola Jesus não se coloca nem do lado do irreligioso nem do religioso, pois ambos estão perdidos, e a forma de viver de ambos é um beco sem saída. Uns procuram encontrar felicidade e realização pelo caminho da conformidade moral, outros pelo auto-conhecimento. Ambos estão errados, mas ambos são amados pelo Pai. O Pai nesta história é Deus, e tu quem és?